sexta-feira, 4 de junho de 2010

Ode à Ismália


A Alphonsus de Guimaraens

Se Ismália pode enlouquecer
Também tenho o direito de pirar
Em todas as torres me aprisionar
E assim, por causa de amor, morrer!

Quando então, vier o anoitecer,
Na lua do mar quero afundar,
À lua do céu quero me elevar
Para ver se lá feliz posso ser.

Se por muitas vezes devaneio
É porque me inspira Ismália...
Para quê imprimir falso freio?

Um destino melhor? Pois eu creio
Mesmo com infinita represália!
Para que viver nesse podre meio?

5 comentários:

Genny LiMo disse...

=) Adoro o poema Ismália do Alphonsus de Guimaraens. E Gostei em demasia deste teu soneto em referência a pobre Ismália.



;***~

Mensagem Efêmera disse...

Obrigada Genny! Bom saber que também gostas desse poema, pois ele é muito marcante para mim ;*

Genny LiMo disse...

Ele me faz palpitar arfantemente o coração.


Amo-o muito assim como À ti! =3

Odisseu disse...

Nossa, esse já conhecia a um bom tempo, acho que desde que nos conhecemos! xD Mas, sem dúvida é o que mais gosto! ^^

Mensagem Efêmera disse...

Ah Otaku, que bom que é seu favorito! Espero que lendo outro você vá mudando de opinião rsrs' xD