sexta-feira, 18 de junho de 2010

Garganta

Cansada está minha garganta,
De tanto sofrer, gritar à toa;
Enquanto meu espírito voa
Guiado pela desesperança...

Assim a imaginação avança
Oscilando entre a popa e proa;
Lágrimas? O oceano escoa,
Atingido pelo arpão e a lança.

Nesse mar de pura desilusão,
Nunca me encantaram as ninfas,
Sereias que ficam esquecidas.

Segue, meu desgarrado coração!
Admira as paisagens lindas,
Dessa forma deve ser tua lida...

2 comentários:

Genny LiMo disse...

Me encantei por este teu soneto.


Direi-te somente isso!


;*~

Mensagem Efêmera disse...

Regojizo-me por saber tal coisa.

Direi-te somente isso!


;**