sexta-feira, 27 de julho de 2012

Ciclo do Rio


O rio sente; o rio sorri.
Em cada onda que vem,
É uma nova alegria que o rio tem
E que se acaba, repentina.


A felicidade do rio é de um instante,
Pois logo que o desespero evanesce,
A onda leva, mas também traz, alucinante
Um novo sofrimento que aparece.


O amor do rio só algumas horas dura;
Segue um ciclo próprio de amar:
O sentimento se dissolve logo em água pura
E se renova todo dia em cada preamar.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Imobiliário


Acalma minha boca nervosa
Com um beijo de tirar o fôlego;
Bagunça minha vida harmoniosa,
Transforma meu andar firme em trôpego.

Abala minhas noites tranquilas
Com madrugadas insones...
Perambulando sozinha entre vilas,
Procuro desesperada teu interfone.

Abre a porta da tua casa
Porque não tenho mais endereço;
Carrega-me na tua asa
Que serei teu mais belo adereço!

Abarca a mim - teu apêndice -
Porque já não pertenço a mim.
Não pus placa de vende-se:
Doei-me inteiramente a ti.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Ma Lover





Je ne parle pas la langue française,
Fazer biquinho não é comigo.
Mas pour vous, para ficar contigo,
Agora sou chique e finesse.

Forcei minha mente: só saiu um oui.
Lembrei também de Edith Piaf,
Só que me calei temendo uma gafe,
Então inspirei fundo e falei mon cherrie.

Abriste um sorriso magnifique:
Trés jolie, beleza sensacional.
Com esforço, te chamei a um picnic...

Durante o encontro, diálogo especial:
Por entre olhares, meu pedido era "fique"!
Pra quê ser bilíngue, se o amor é universal?

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Mesóclise


Após ser tão criticada,
Chamada de obsoleta, antiquada,
Do tempo do guaraná com rolha
Por ainda utilizar a mesóclise,
Fiz uma importante escolha:
Calar-me-ei eternamente.