quinta-feira, 30 de maio de 2013

Soneto de Amor Eterno

Para Danila Gonzaga

Desejo juntar meus pés aos teus pés;
Criar um universo sob o edredom...
O amor também é um precioso dom:
Ultrapassa intranquilas marés.

Prometo-te, então, os dias fiéis,
Imersos em um cotidiano bom.
Se o nosso sentimento tiver som,
Extrapola todos os decibéis.

Na plenitude da vida inteira,
Amostras constantes de serenidade
Da mais sincera e verdadeira

Relação de cumplicidade.
De segunda até sexta-feira,
Ao além que aponta a eternidade.

sábado, 18 de maio de 2013

Amizade Especial

De Genniffer Moreira para Lara Utzig

amor efêmero, e, ou sem final,
amor surreal com pitadas de sal,
amor agridoce com gosto de vida.

não é mais um na multidão,
não é vertigem ou ilusão,
não é simples paixão.

amor sem fim ao infinito,
amor que aumenta pelas bordas,
amor real com gosto de água e sal.

é mais que atração,
é mais que frágil emoção,
é mais que uma canção.

amor sem arestas e pontas,
amor enrolado em folhas de pergaminho,
amor pintado na carne e no coração.

surreal abstração,
devaneante amizade azulada,
uma espiral de sentimentos atemporais.

amor na cor do céu,
amor brilhante como o luar,
amor deverás salutar.

ela é mais que especial,
ela é feita de estrelas cadentes,
ela é o meu melhor presente.

amor na dose certa,
amor amigo com laços de fita,
amor, doce amor atemporal.

o tempo que transforma uni-versos, 
transformou-te no meu melhor verso,
o tempo aprofundou o meu amor.

amor sem um pingo de apego,
amor doce que virou amizade,
amor azul da cor do mar.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Prosseguir



Desespero.
A dor do desapego.
Não encoste!
Sentimento de posse.

Sim, desespera.
A ilusão da espera.
Sim, desatino.
Medo do destino...

Engano pensar que era amor.
Tudo não passava de pavor.
Pânico de ficar só,
E de retornar ao pó.

Engano é suspirar lembranças,
Se sustentar de passado.
Enferrujadas alianças
Não podem manter um noivado.

É pra frente que se anda.
Não se sobrevive sem mudanças.
E se o coração manda...
Avante! Sempre há novas esperanças.

Mania de pronomes:
Minha, meu, minhas, meus.
O livre arbítrio dos homens
Obrigou-me a dizer: adeus!

Se há prosseguimento... Paciência.
Mas que seja com alguma razão
E não reciprocidade de carência,
Ambos temorosos da solidão.

Inseguro futuro,
A vida tem que seguir...
Hoje me vejo maduro
E enfim, te deixo partir.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Cedo ou Tarde?


I

O que é cedo e o que é tarde?
O que é cedo vem do desespero,
Da pressa e do alarde.
Quando é cedo demais, há o grito
Aos quatro cantos para o abate.

O que é cedo e o que é tarde?
O que é cedo vem da carência,
Da incompreensão e do descarte.
Quando é cedo demais, há o gemido
Alto e sonoro para o desempate.

II
O que é tarde e o que é cedo?
O que é tarde vem do vil medo
Da solidão e do embaraço.
Quando é tarde demais, há o apreço
À compensação para o excesso de espaço.

O que é tarde e o que é cedo?
O que é tarde vem do engano ledo
Do anúncio e do estardalhaço.
Quando é tarde demais, há outdoors pelos canteiros
Aos quarteirões para cicatrizar o estilhaço.

III

O que é tarde e o que é cedo?
O que é cedo e o que é tarde?
Amor quando é bom e verdadeiro,
Amor quando é pleno e por inteiro,
Amor quando não é vão, é duradouro...
Não se guia pelo relógio, vem repentino e acerta:
Nem cedo, nem tarde, mas como estouro:
Amor para ser eterno... Vem na hora certa.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Ódio


O ódio é apenas disfarce
Que mascara o misterioso impasse
Do que o leva a existir.
Se leva ao desejo de destruir,
Não há mero desprezo
E sim o inflamado peso
Do importar-se.
Fingir ignorar
Prova que não há indiferença,
Mas uma oculta doença
Chamada platonicidade.