sábado, 23 de julho de 2011

Ser de Capricórnio


Você metade gente
Metade bode
Em dezembro ou janeiro
Nasce em meio à ode

Responsável
Tem o poder na mão
Lìder nato
Vive solitário
Não é ser de Sagitário
É ser de Capricórnio

Nativo de Saturno
Naturalmente noturno
Mais equilíbrio que Libra
Signo que tem fibra

Manda e desmanda
Sucesso em qualquer profissão
Só não manda nem desmanda
No teu frágil coração




Esse poema é uma intertextualidade com a música Ser de Sagitário, de Adriana Calcanhotto. Para conhecer a letra, clique aqui.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Ex-razão


Foste razão dos versos meus
Agora não passas
De passado
Passageiro
Com passagem só de ida
Passarinho que voou longe
Passatempo
Passou tudo
Só não passou
Essa minha saudade permanente

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Fera


Olhos que enxergam à distância
Farejando sem piedade
De sangue tem ânsia
Sua saliva pinga no chão da cidade

Garras afiadas
No controle, no poder
Criaturas aladas
Sequer desejo conhecer

Caminha sem destino
A fera sonhadora
Sem pátria, sem time, sem hino
És hoje caça ou caçadora?