quinta-feira, 7 de julho de 2011

Fera


Olhos que enxergam à distância
Farejando sem piedade
De sangue tem ânsia
Sua saliva pinga no chão da cidade

Garras afiadas
No controle, no poder
Criaturas aladas
Sequer desejo conhecer

Caminha sem destino
A fera sonhadora
Sem pátria, sem time, sem hino
És hoje caça ou caçadora?

4 comentários:

Genny LiMo disse...

Fera ferida... Fera ferida... ;x~
Huhauhauhauha... Gostei das rimas, ficaram muito boas.

Fica bem, sua linda. ;*~

Luana Natália disse...

Quase me deu medo, hahah

Lianah disse...

Gosteiii... xD

Ricardo Novais disse...

Olá!

As visitas vêm, vão, mas nem todo passeio nos encanta; mas quando encanta, o próprio espírito insiste por se expressar.

Confesso, não sou íntimo de poesia - talvez alguma vertigem me cause o Augusto dos Anjos ou o excessivo Vinicius de Morais, em algum momento entram bem à minha alma; mas raramente me pegam. Acho a poesia bonita, e só.

Mas, deixando de lado o que é poesia e o que é prosa (ou qualquer outro tipo de 'classificação' que dêem os "teóricos") reconheço, pela teimosia de leitor comum, o que é boa literatura. Você escreve brilhantemente, quase provocação. Cada verso é tocante, e ácido ao mesmo tempo.

Adorei o blog! Lindo, limpo, bem feito e com textos incríveis.

Parabéns pelo talento!

Um beijo,
Ricardo.