sexta-feira, 4 de junho de 2010

Aspirante

Minha vida é entediante
Sinto saudade de não sei o quê.
Por vezes me pergunto se é de você
Nessa existência ambulante...


Confesso que quando estou perante
Respostas que não tiveram porquê
Vejo a única saída a ter:
Ser, da morte, mera aspirante!


De quê adianta olhar para trás
E se prender em falsas vitórias?
Se no fundo tudo é sempre igual?


As escolhas que a humanidade faz
São egoístas, são só escórias.
E no fim, sou uma simples mortal...

3 comentários:

Genny LiMo disse...

Nossa! Meu coração palpitante
Acelerou de maneira gritante
Quando terminei de ler teu Soneto.



;****~ Ei, amo-te tanto criança linda!

Mensagem Efêmera disse...

Fico feliz por ter te levado a remotos devaneios com as linhas que escrevo! ^^

Genny LiMo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.