quinta-feira, 29 de julho de 2010

Ode à Capitu


A Machado de Assis


Pobre homem de mente poluída!
A duras penas, o ciúme te fez
Um ébrio, louco, infeliz de vez,
Tendo a sanidade diluída...

Tua diva, musa destruída,
Já foi embora há mais de um mês.
Por mais que entendas todas as leis,
A intriga fez tua alma corroída...

Sinto pena de ti, Dom Casmurro.
Nada fez tua esposa Capitu,
Mas tua cegueira, tal qual um urro,

Transformou-te em um vilão burro.
Tirando as suspeitas do baú,
Fazes com que mereças um bom murro!

3 comentários:

Genny LiMo disse...

Coitadinho do pobre e desvairado Dom Casmurro!
Não te esqueça que o homem consegue transformar
Disfarçosa e enganosamente o tal amor em algo
Considerado como além de toda dor...



;*~

Cris Mor disse...

Lara, você escreve muito bem. Estou fazendo uma análise da Obra de Machado de Assis e seu poema é uma perfeita obra prima apoiada em tão formosa estória. Além disso, gostei muito do seu blog, em especial do verso que compõe seu perfil.
Realmente admirável.

Mensagem Efêmera disse...

Oi, Cris, tudo bom?

É uma satisfação muito grande teres gostado dos meus poemas e do meu blog, ainda mais sabendo que estás pesquisando sobre Machado de Assis, esse genial escritor que nos presenteou com "Dom Casmurro" e outras maravilhosas histórias.

Saibas que serás sempre bem-vinda por aqui, e comente sempre que quiser, ok?

Abração!