quarta-feira, 21 de abril de 2010

Cárcere


Em um cárcere aprisionada,
Fruto de uma filarmônica fantasia
Na harmonia orquestrada
O som agudo de uma ópera vazia.

Stradivarius desafinado
Com longas cordas desentoadas,
Lânguido olhar deslocado
Ao longo da paisagem apagada...

Tristeza desmotivada,
Através dos tempos esquecida,
Mas ao fim de tudo ressucitada
Percebendo-se a vida;

Assim fico entorpecida
Dentro do ventre, pecado capital,
Cicatrizando minha ferida
A aguardar uma aparição triunfal.

3 comentários:

Genny LiMo disse...

=) my little love.

Mensagem Efêmera disse...

I can feel it.

Genny LiMo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.