terça-feira, 17 de março de 2015

Cânone


Descobri que o amor
possui uma essência:
sua matéria-prima
é a desistência.
Sim, o amor é elemento
constituído de uma molécula
levada pelo vento:
em determinada época,
compõe-se o deixar-partir
apesar do desejo
de insistir.
Em cada átomo, um solfejo;
a canção da despedida
ecoa em um buraco negro:
o segredo
da partida.
Coro de apenas uma voz:
a soprano que resta
entoa a sós
uma melodia funesta:
o que sobrou de nós.
A partir disso, nasce a substância
batizada renúncia,
formada pela ressonância
do adeus e sua pronúncia.
O amor que surge do sim
atinge seu verdadeiro conteúdo
quando abdica o próprio uso
e chega ao fim.

Nenhum comentário: