domingo, 11 de agosto de 2013

Pastoril


Peço-te encarecidamente
Que me guies eternamente:
Como ovelha de teu rebanho,
Como prova de amor tamanho,
Como temor de que, um dia, me percas.

Peço-te atenção,
Que este pampa é de imensidão:
Como campo que não se finda,
Como planície a perder de vista,
Como certeza de que o sol sempre se ergue.

Peço-te cuidado
Que este torrão é teu, ser amado:
Como as gotas que cabem em um rio,
Como a dedicação de um pastoril,
Como a segurança de que o infinito nos cerca.

3 comentários:

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Lara. Gosto muito dos seus poemas, vejo criatividade em tudo o que leio.
Finalmente apareceu seu poema na minha lista de blogs e pude comentar, uma vez que nunca te vi no meu espaço.
Grata surpresa quando venho aqui e vejo a sua foto, não tem como esquecer da sua escrita belíssima.
Aqui, parabenizo todos os poemas lidos por mim.
Tenha um excelente domingo e beijos na alma.

queromais1 disse...

gostei
gostei muito.
lindo poema, parabéns!

volto.

B. disse...

Sou suspeita pra falar sobre poesias bucólicas, haha. Elas proporcionam uma emoção diferente e revigorante em meu ser.
Ps: Acho que poderia explorá-las um pouco mais. Suas palavras são de uma beleza incrível!