terça-feira, 9 de julho de 2013

Não VOLTS


A verdade é que nunca consegui acompanhar teu ritmo.
Parecias estar sempre ligada no 220.
Iludida, nutri por muito tempo o desejo íntimo
De um dia poder te alcançar com requinte.

A verdade é que eu amei uma bomba-relógio
E me pergunto se não devia ter logo explodido.
Exibida, não enxerguei o que era tão óbvio
E quando dei por mim, já havia me ferido.

A verdade é que sempre estiveste um passo à frente
Porque eu te alçava adiante, jogava a teu favor,
Até esquecer que existia um laço; um nó: a gente!
E enfim abri mão de mim mesma, por amor.

A verdade é que de tanto te impulsionar avante,
Eu fui aos poucos ficando para trás...
E em nenhum momento me buscaste, distante,
Pois era cômodo que eu estivesse logo atrás.

A verdade é que aprendi das piores maneiras...
O que preciso é alguém para andar lado a lado,
Para que nos construamos como partes inteiras
Posto que é injusto só um carregar o fardo.

Um comentário:

B. disse...

Quando um só lado ama, quando um só lado tenta e luta, o relacionamento torna-se incompleto e vazio. A interação começa a se perder e por fim, quem se doa acaba esperando a retribuição do outro, mas não a obtem. É bastante complicado. O amor precisa ser totalmente recíproco.