quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Ar(risque)


Baseado em hipóteses deduziu ideais
Sem saber que a vida é feita de experiências reais!
Prosseguiu com medo de decepções,
Sem aprender verdadeiras lições:
Descobriu no fim que temer o perigo é algo nocivo
- Viver de ses é existir no subjuntivo -.

5 comentários:

B. disse...

Que coincidência, Lara. Estava conversando agorinha mesmo, com uma amiga, sobre isso. Acredito que todos temos medo de arriscar, mas se não arriscarmos, olharemos pra trás e veremos que a nossa história não valeu a pena. Pois é através da experiência que o homem se constrói. Digo, que tive este aprendizado, com um amigo. Antes, pensava de outra maneira. Mas sim, é necessário correr o perigo. Arriscando pode-se cair, chorar, contudo, também pode-se encontrar a felicidade. É uma dicotomia tremenda.
Sobre o seu texto, é sútil, simples e pequeno, mas com muito conteúdo. Adoro passar pelo seu blog. É sempre bom.

AquilesMarchel disse...

um Q de Paulo Leminsky?

o medo nos limita, nos oprime mas protege
e a ai?

Marisete Zanon disse...

Lindo, Lara. Eu particularmente não gosto de comentar poemas, apenas prefiro dizer se gosto, ou não. Gosto demais do que escreves, para a tua idade já tens bagagem poética de causar inveja a muitos veteranos.
um abraço!

Luiz Alfredo disse...

Um amor tutti-fruit
com sabor grapefruit
um poema delicioso
mui belo
que tipo de lua
vão saborear?!

Luiz Alfredo - poeta

Anônimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ viagra generique
http://prezzoviagraitalia.net/ costo viagra
http://precioviagraespana.net/ viagra