terça-feira, 3 de abril de 2012

Infortúnio


Se sabes que a cada dia que passa
O julgamento está mais próximo,
Cuidado, então, ó filho pródigo!
Pecado vem, tentação te encalça.

Mas o amor se aproxima e te abraça.
Medroso, irracional e ilógico,
Te escondes no deserto inóspito
Temendo o sentimento que te caça.

Assim, no momento de tua morte,
Deus, justo, enviou-te ao Inferno
Pois fugiste da vida mundana.

E que infortúnio! Falta de sorte!
Ficaste só no terrível inverno:
Queimarás na eternidade profana.

7 comentários:

Christian V. Louis disse...

Eu acho tudo isto de religião tão contraditório Lara, que se fosse opinar, escreveria uma Bíblia aqui literalmente. ahah.
Apenas não consigo conceber em minha mente um Deus de "infinita misericórdia" jogar os próprios filhos no inferno por conta de alguns erros. É certo que há erros imperdoáveis, aos olhos humanos, contudo, por que vemos pais e mães de bandidos visitando-os e perdoando-os, os pais imperfeitos e o de "infinita misericórdia", perfeito, não ser capaz disto?

Luciana Santa Rita disse...

Lara,

Parabéns pelo texto! Eu confesso que tenho dificuldade de avaliar questões dessa natureza, não sei se por medo ou preconceito. Vejo que não será agora que terei a resposta.
Beijos.

Lu

AquilesMarchel disse...

ou vc acredita em tudo ou nao acredita em nada
nao da pra acreditar pela metade nas coisas divinas


tenso
bem colocado

Genny disse...

O espiritismo explica... beijos. :)

Felisberto Junior disse...

Olá!
Boa noite!
Desejar uma Feliz Páscoa!
Beijos
(voltarei com mais vagar, para ler)

Ana Andreolli disse...

tenho medo de ficar no escuro,sobretudo da solidão.

Jaci Rocha disse...

Denso...
Inquestionavelmente belo,Lara!=)