sábado, 26 de março de 2011

Desbotado


Esse teu beijo amarelado
Com gosto de pecado
Se tornou tão sem graça
Como o banco acinzentado da praça

O que antes era cor de rubi
Vermelho, sangue, carmim
Desbotou tanto, mas tanto
Que só sobrou o preto & branco

As cores de outrora
Deram adeus, foram embora
Até meu cabelo alaranjado
Voltou ao tom amarronzado

Quero me tornar violeta
Púrpura, lilás como uma borboleta
Que voa em busca do beija-flor
Tão colorido como deve ser o amor...

3 comentários:

Max.Yataco disse...

muito bom o poema, cara, curtir bastante.
"Quero me tornar violeta
Púrpura, lilás como uma borboleta
Que voa em busca do beija-flor
Tão colorido como deve ser o amor..."
incrível que sempre estamos correndo atrás, até os que não acreditam tanto no amor, (meu caso) ^^

Beijos e Abraços.

Genny LiMo disse...

"Esse teu beijo amarelado
Com gosto de pecado
Se tornou tão sem graça
Como o banco acinzentado da praça"

Já pensei exatamente o mesmo, gostei demais dessa parte do poema.


=***~

Luna Sanchez disse...

Aquarela, sempre!

=)

Beijo.