quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Era Uma Vez


Entre a floresta,
Dentre a densa relva,
Maria e seu irmão, João,
Perdidos... Rumo à execução.
Os pedaços de pão do caminho?!
Devorados pelos passarinhos.

Entre uma casa de guloseimas,
Dentre o cansaço das brincadeiras,
Para escapar da escuridão
Uma bruxa fez a recepção
Em seu palacete:
Os gêmeos virariam banquete.

Entre duas gaiolas,
Dentre um regime que engorda,
À noite, João mostrava seu dedo,
Até que descobriu o segredo...
Um osso de galinha deu jeito:
Forte, parecia um graveto!
A bruxa cega só sentia um espeto.

Entre a bravura,
Dentre a grata fuga,
Ambos correram em desespero
- O momento derradeiro -.
João e Maria nunca voltaram
E de sua casa não mais se afastaram.

Um comentário:

B. disse...

Admiro quem consegue criar uma história através de versos. É um dom para poucos.
Encantador, lembrou-me a infância.