segunda-feira, 15 de abril de 2013

Cilada


Em todo lugar que eu ia,
Ela sempre surgia também.
Fosse açougue ou padaria,
Cantina ou armazém.
Passei a crer em destino,
E questionar se era coincidência.
Se o universo estava nos unindo,
Ou se havia explicação da ciência.
Quando tudo conspira a favor,
É porque existe algo errado.
E antes que eu caísse em torpor,
Ou começasse um enlace estragado...
Descobri qual era a cilada
E fugi a tempo, enfim!
A louca era tão alucinada
Que
stalkeava qualquer check-in.

6 comentários:

Strega disse...

Olá,
Lindo texto... Amei as palavras! Suas rimas são perfeitas! :D

Lívia Almeida disse...

É, as vezes devemos ser cuidadosos com as pessoas pelas quais nos interessamos. Rs.

Elisa Cunha disse...

É desconfiar quando as coisas tendem demais a dar certo. rs

B. disse...

"Quando tudo conspira a favor,
É porque existe algo errado."
Será mesmo? Daí fico me perguntando, quando tudo conspira contra, será que um dia dará certo? rs. Mas, de fato, quando são extremos, quando abrange um 'todo', nem sempre o resultado é bom.
Gostei do humor no fim do poema *-*

Amanda Souza disse...

Pois é, vamos combinar que cruzamos com várias "ciladas" na vida!
Beijinhos

Hipérboles
@hiperbolismos

Arianne Barromeü disse...

HAHAHA. Adorei! Com toda certeza eu seria essa louca tão alucinada, mas como tenho preguiça, só observo. Ah, outra coisa, desde que eu descobri que você é uma cantora, leio seus textos de uma forma mais musical. haha Digo, meio que tento ler num ritmo musical.

Beijos, Lara.