quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Ciclo


Em cada passo, a distância aumenta.
Tuas pernas caminham lado a lado...

No horizonte longínquo, a miragem trêmula:
Somes de mim e do meu passado.

E em cada dia dessa nova rota,
Livro-me aos poucos de meus fantasmas;
Um caminho alegre da terra brota,
Uma via limpa sem antigos carmas.

Meu sorriso, enfim, do rosto desaba,
A solução final para curar a dor.
É ciclo eterno pois nunca se acaba:
Esquecer um amor com um outro amor!

5 comentários:

Genniffer Moreira disse...

Esquecer "alguém amado" com outro "alguém amado" é ilusão, não se pode esquecer esse tipo de coisa, o que pode vir a acontecer é você equilibrar e controlar seus sentimentos turvos em relação ao que sentia pela pessoa amada, e projetar mais emoções e sensações no futuro com a outra pessoa amada, pelo fato de ser novidade é empolgante e arrasador, mas, não finaliza o seu antigo amor.

Amor de verdade não pode ser esquecido, mas, pode sim evoluir e virar carinho eterno.


Abração, felina.

Evelyn Dias disse...

Não dá certo! E qual outro remédio? Não sei.
Aliás, fez-se aqui uma solidão efêmera!
Bjo!

Edilson Cravo disse...

Lara:

Recomeços e um futuro bom.

Beijos.

Franciéle Romero Machado disse...

Recomeços são bons, pode ser demorado, mas um novo amor tira aquele antigo amor aos poucos, não é algo instantâneo, mas acredito que acontece sim.

Ter amor próprio é se permitir isso, alguma coisas tem de ser curadas :)

Abraço.
Um bom dia!

(Aguardo sua visita)

Amanda Souza disse...

Como sempre, de uma leveza incrível! Lindo. Acho que cada caso é um caso, mas não dá pra esquecer alguém com outra pessoa. É preciso deixar a primeira ir embora...
Beijinhos

hiperbolismos.blogspot.com