domingo, 5 de janeiro de 2014

À Véspera do Escarro


Camarão que dorme a onda leva.
Homem que se distrai é engolido pela selva.
Dormi; distraí-me.
Traí-me.
No meu sonho, muito me iludi.
Imaginei um mundo onde as pessoas não precisavam prejudicar umas às outras para serem felizes.
Onde puxar o tapete não é a única forma de vencer que existe.
Acordei pisoteada, coberta pela areia da praia,
Subjugada por não me igualar à tal laia.

Neste mundo não há lugar para ingênuos.
Augusto dos Anjos advertiu e era mesmo um gênio.
Neste mundo, os bons são sempre esmagados.
Terra miserável só dá frutos putrefatos.
Neste mundo, o trigo já anda pouco:
A lama que nos espera multiplicou o joio.

Entretanto, se for para me tornar tão vil,
Se for para transformar meu coração em mero objeto vazio...
Permanecerei nos braços de Morfeu, pois neles o mundo é menos feio
E que venha a onda, levando-me junto com meu pueril devaneio.

3 comentários:

Lívia Almeida disse...

Na maioria das vezes, somos pisoteados mesmo, por não sermos e agirmos como tal espécie faz. O diferente incomoda e por isso, é instrumento de tortura. Sentimentos reais e sinceros não têm vez, só a falsidade que alastra o solo, feito chorume.

Perfeito, Lara.

Karlinha Ferreira disse...

"Imaginei um mundo onde as pessoas não precisavam prejudicar umas às outras para serem felizes."

2013 foi um ano de despertar para mostrar que de fato nem todos pensam assim... Mas sinto uma energia melhor agora, talvez por ter aprendido a distinguir aqueles que são, dos que não são...


Beijo grande e adorei...

Amanteli disse...

"No mundo de morfeu"